Linha do Douro vai continuar interrompida por mais um mês

As obras no troço Caíde – Marco deveriam estar concluídas em 26 de Fevereiro, mas só em Abril haverá comboios a passar. Trabalhos vão prolongar-se até Maio.

Foi em 27 de Julho, em cerimónia presidida pelo então ministro Pedro Marques, que a Infraestruturas de Portugal consignou a empreitada para a modernização do troço Caíde – Marco na linha do Douro. O prazo de execução era de 215 dias e previa que a linha estivesse interrompida três meses (Dezembro, Janeiro e Fevereiro) para se fazerem obras no túnel de Caíde.

Se tudo corresse bem, no dia 26 de Fevereiro aquele troço de 15 quilómetros deveria reabrir com comboios eléctricos a circularem directamente do Porto até Marco de Canavezes.

Mas em Portugal o normal é as obras ferroviárias atrasarem-se e esta não foi excepção. Os trabalhos no túnel vão prolongar-se por mais um mês, obrigando a CP a manter o serviço de transbordo rodoviário entre Caíde e Marco. Mas, mesmo quando o troço reabrir, vão continuar a circular comboios a diesel por mais uns meses porque a electrificação ainda não estará terminada.

A empreitada desta modernização foi adjudicada por 10 milhões de euros a um consórcio formado pela Opway, Promorail, DST, DTE e Alstom.

Na apresentação realizada em Julho, em Marco de Canavezes, a Infraestruturas de Portugal justificava o encerramento da linha com dois motivos: “menor prazo de execução (antecipação da conclusão em cerca de cinco meses) e menor custo da empreitada (redução de 40% face à estimativa inicial”.

A empresa respondia assim aos autarcas da região que discordaram de uma solução que cortava ao meio a linha do Douro, deixando um troço aberto entre Porto e Caíde e outro, isolado do resto da rede ferroviária, entre Marco e Pocinho. Esse isolamento ainda é maior porque a CP aproveitou para reduzir a oferta neste troço em mais de 50%, mantendo para a Régua uma espécie de “serviços mínimos” com apenas seis comboios em cada sentido (antes do encerramento eram 13 em cada sentido).

As vicissitudes do troço Caíde – Marco já vêm detrás e remontam a 2009 quando a então secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino, anuncia um investimento de 70 milhões de euros para a modernização deste troço. O projecto seria suspenso no ano seguinte e em 2014 é lançado um concurso público para uma obra mais modesta (6,4 milhões de euros) que contemplava apenas a electrificação da linha e instalação de sinalização automática.

Três anos depois, as obras param. Devido a problemas financeiros, o empreiteiro – o consórcio espanhol Isolux Corsan – não consegue realizar as obras e a Infraestruturas de Portugal acabaria por lançar novo concurso público que culminaria na consignação à Opway da actual empreitada de 10 milhões de euros.

Contactada pelo PÚBLICO, a Infraestruturas de Portugal diz que “desta situação, que apenas foi susceptível de identificar com o desenvolvimento da obra, foi já dado conhecimento aos operadores ferroviários, autarquias e associações de utentes e empresariais da região”.

https://www.publico.pt/2019/02/22/economia/noticia/linha-douro-vai-continuar-interrompida-mes-1862915

2019-03-19

Descubra todas as novidades da freguesia

Meinedo: um pedaço da história de Portugal

 

Meinedo: um pedaço da história de Portugal
2019-04-18
Meinedo é a segunda maior freguesia e a mais antiga do concelho de Lousada, com 8,43 km2, e é um...
LER MAIS
Meinedo: um pedaço da história de Portugal

 

Confraria do Bazulaque de Magneto apresentou traje e medalha
2019-04-18
Decorreu, no sábado, nas instalações da Associação de Desenvolvimento e Apoio Social de Meinedo,...
LER MAIS
Meinedo: um pedaço da história de Portugal

 

Linha do Douro vai continuar interrompida por mais um mês
2019-03-19
As obras no troço Caíde – Marco deveriam estar concluídas em 26 de Fevereiro, mas só em Abril...
LER MAIS
Política de Cookies
COMO UTILIZAMOS AS COOKIES

As cookies são utilizadas para melhorar o nosso serviço. Algumas das cookies são essenciais para garantir as funcionalidades disponibilizadas, enquanto outras são destinadas a melhorar o desempenho e a experiência do utilizador.

As cookies essenciais destinam-se a:
- lembrar o que adiciona ao carrinho
- lembrar o seu progresso na encomenda

As cookies funcionais destinam-se a:
- lembrar os dados da sua conta
- garantir que a sua ligação é segura
- garantir que o sítio web é mostrado de forma consistente
- oferecer suporte através de chat

As cookies de desempenho destinam-se a:
- melhorar o desempenho do sítio web reduzindo o número de loads das páginas que visita
- melhorar a experiência do utilizador

As cookies de segmentação destinam-se a:
- permitir que partilhe e goste nas redes sociais
- enviar informação a outros sítios web para personalizar a publicidade mostrada.


EXEMPLOS DE UTILIZAÇÃO DAS COOKIES

As cookies são utilizadas para melhorar o serviço que lhe é prestado, como por exemplo:
- possibilitar a utilização de alguns serviços como o pagamento, que não seria possível sem as cookies
- permitir que um serviço reconheça o seu dispositivo para que não tenha de fornecer constantemente os mesmos dados
- reconhecer que já forneceu um nome de utilizador e palavra-passe quando ligado à área de cliente para que não tenha de o fazer sempre que consulta uma página
- contabillizar quantas pessoas estão a utilizar um serviço, permitindo assim garantir que a utilização é rápida
- analisar dados que nos permita saber como utiliza os serviços para que os possamos melhorar

Se não permitir que o sítio web utilize cookies, algumas páginas e funcionalidades não vão funcionar como esperado. Como exemplo, não poderá utilizar a lista de compras.
Se deseja apagar as cookies que já se encontram no seu computador, consulte a secção de "Ajuda" do seu navegador de internet.
Poderá ainda saber mais informações sobre cookies e como as gerir no sítio http://www.aboutcookies.org (Inglês) ou consulte a secção "Ajuda" do seu navegador de internet.